Notícias

Por que dietas não funcionam?

Olá pessoal, primeiro gostaria de me desculpar à quem acompanha o blog, tive uma semana conturbada e realmente não tive tempo nem de sentar para olhar a situação do meu blog. Mas eu não me esqueci de vocês não, estou de volta, espero que diariamente novamente, postando as notícias, humor e curiosidades para vocês se entreterem. Abraço a todos!

Um relatório, tema de agosto no Jornal do Metabolismo Celular, pode ajudar a explicar porquê é tão frustrante se manter em uma dieta. Quando não comemos, neurônios indutores de fome no cérebro começam a comerem a si mesmos. Esse ato de auto-canibalismo ativa um sinal de fome para que você se alimente imediatamente. “Uma rota que é importante para todas as células para entregar componentes em um processo de limpeza também é obrigado a regular o apetite.” diz Rajat Singh da Faculdade de Medicina Albert Einstein.

O processo celular descoberto no hipotálamo é conhecido como autofagia (literalmente comer a si mesmo). Singh diz que as novas descobertas em ratos sugerem que tratamentos focados em bloquear a autofagia podem gerar armas para combater a fome na guerra contra a obesidade.

A nova evidência mostra que, lipídeos dentro dos conhecidos como neurônios peptídicos relacionados ao agouti (AgRP)são mobilizados a seguir a autofagia, gerando ácidos graxos livres. Esse ácidos graxos, por sua vez, aumentao os níveis de AgRP, um sinal de fome em si.

Quando a autofagia é bloqueada nos neurônios AgRP, os níveis de AgRP falham em aumentar em resposta à fome, conforme os pesquisadores demonstraram. Enquanto isso, níveis de outros hormônios, chamados de hormônio de estimulação de melanócito, continuou elevado. Essa mudança na química do corpo levou os ratos a se tornarem mais leves e magros enquanto comiam menos  após o jejum e queimaram mais energia.

A autofagia é conhecida por ter um papel importante em outras partes do corpo como um meio de produzir energia em momentos de fome. Entretanto, ao contrario de outros órgãos, estudos anteriores demonstraram que o cérebro é relativamente resistente à autofagia induzida pela fome.

“O estudo atual demonstra a natureza única dos neurônios hipotalâmicos na sua habilidade de controlar a autofagia em resposta à fome que é consistente com os papeis desses neurônios em alimentar e na homeostase energética.” os pesquisadores escreveram.

Singh disse que suspeita que os ácidos graxos são liberados na sistema circulatório e absorvidos pelo hipotálamo como reservas de gordura se quebram entre as refeições induzindo autofagia nesses neurônios AgRP. As pesquisas de Singh  anteriores mostraram uma resposta similar do fígado.

Em contra partida, ele diz, cronicamente, altos níveis de ácidos graxos na corrente sanguínea, como acontece em dietas com muita gordura, podem alterar o metabolismo dos lipídeos do hipotálamo, “criando um circulo vicioso de superalimentação e balanço de energia alterado.” Tratamentos focados nessa rota pode “fazer você sentir mesmo fome e queimar mais energia,” um bom modo de manter o balanço energético em um mundo onde as calorias são abundantes e baratas.

As descobertas podem, também, render novos estudos nas mudanças metabólicas que surgem com a idade, dado que a autofagia diminui conforme envelhecemos. “Nós já temos evidências preliminares que podem existir mudanças com a idade,” disse Singh. “Nós estamos excitados sobre isso.”

.

.

.

.

Fonte: E Science!

Anúncios

Deixar um Comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s