Especiais

[Especial] Alimentos Transgênicos. Solução? (Parte 1)

Olá pessoal, como prometido hoje começarei o meu especial sobre alimentos transgênicos. Após pouco mais de um mês consegui concluir todo o artigo, imagino que serão necessários 5 a 6 posts que serão colocados no ar consecutivamente até sábado… Eu espero que vocês gostem, um tema um tanto polêmico mas pouco explicado… Abraços e boa leitura!!!

Introdução

O cultivo de plantas transgênicas, bem como o consumo humano e animal de seus derivados, é um evento recente, cercado de interesses e conflitos múltiplos. Existe, mundialmente, um debate sobre os impactos que o cultivo de Organismos Geneticamente modificados (OGMs) na saúde humana, animal e no meio ambiente, assim como uma possível transformação nos modelos de exploração agrícola no mundo.

O cultivo de plantações transgênicas tem sido largamente aceito nos EUA, na união européia, após seis anos de proibição, atualmente está permitindo o plantio de batata e milho transgênico, para uso industrial e alimentício. No Brasil, atualmente, é permitido o plantio da soja transgênica, em 2010, em uma reunião relativamente controversa pela CTNBio, foi aprovado o plantio de arroz transgênico em território nacional.

Atualmente estima-se que o cultivo de transgênicos tenha uma taxa de crescimento de 13% ao ano. A área total plantada já supera 100 milhões de hectares, tendo como principais produtores os EUA, Canadá, Brasil, Argentina, China e Índia.

A técnica da transgenia pode contribuir de forma significativa para o melhoramento genético de plantas. A competência para desenvolver novos produtos alimentícios depende muito de recursos humanos qualificados, altos investimentos à ciência e Tecnologia, conhecimento científico além da disponibilidade de germoplasma. Contudo, o cultivo de plantas transgênicas a campo e consumo requer análises de risco.

Existe uma série de desafios a superar para poder usufruir dos benefícios que os alimentos transgênicos podem fornecer. A pertinência da sua utilização depende de inúmeros fatores que proporciona alta complexidade à sua definição.

Justificativa                                                                                

É de fundamental importância aumentar a produtividade em terras que já foram intensivamente cultivadas, além de aumentar a área de plantação, entretanto, aumentar a produção é apenas parte da equação. A geração de renda, principalmente em áreas de baixa renda, junto com uma distribuição mais efetiva dos alimentos são igualmente, se não mais, importantes. A tecnologia de modificação genética é relevante para esses dois elementos da segurança alimentar.

Aumentar a área para plantação sem causar um impacto sério no meio ambiente e recursos naturais é uma opção limitada. A agricultura moderna aumentou a produção de comida, mas também introduziu o uso de pesticidas e fertilizantes em larga escala, produtos de alto custo e que podem, potencialmente, afetar a saúde humana e prejudicar o ecossistema. Um grande desafio para a população hoje em dia é desenvolver um modo de aumentar a produção e acesso das pessoas aos alimentos, o que requer o emprego intensivo da produção de alimentos básicos sem esgotar os recursos naturais não renováveis e sem causar danos ao meio ambiente. Em outras palavras, como nós caminhamos em direção à prática da agricultura sustentável que não comprometa a saúde e bem estar financeiro das gerações atuais e futuras? A fim de pensar em termos de agricultura sustentável, fatores responsáveis pelo solo, água e deterioração precisam ser identificados e tomados as medidas corretivas necessárias.

A pesquisa de cultivos transgênicos, em conjunto com as plantações convencionais e a seleção feita pelos fazendeiros, focam em alterar seletivamente, adicionando ou removendo características escolhidas em uma planta, levando em conta as necessidades regionais e oportunidades.  Ela oferece a possibilidade de, não apenas trazer as características desejadas de outras variedades da planta, bem como adicionar características de espécies não relacionadas. Consequentemente, as plantas transgênicas se tornam “pais” para uso na reprodução tradicional. A modificação de características qualitativas e quantitativas, como a composição de proteínas, amido, gorduras e vitaminas, através da modificação de rotas metabólicas, já foi conquistada em algumas espécies. Tais modificações aumentam as propriedades nutricionais do alimento e podem, em algumas características, ajudando a suprir deficiências e, portanto, reduzindo o custo nacional e recursos necessários para implementar os programas de suplementação atuais. Essas melhorias nutricionais raramente foram alcançadas pelos métodos tradicionais de reprodução de plantas.

Grande parte do desenvolvimento da agricultura mundial está nas mãos de pequenos fazendeiros os quais os interesses devem ser levados em conta. As preocupações em relação à tecnologia da modificação genética vão de seu impacto potencial na saúde humana e ao meio ambiente à preocupações sobre os monopólios do setor privado da tecnologia. É essencial que essas preocupações sejam enfrentadas se quisermos colher os benefícios potenciais dessa nova tecnologia.

Anúncios

Deixar um Comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s